A história do Morro do Maluf

morromaluf-3

O Morro do Maluf, localizado na Praia da Enseada, chama-se Morro da Campina e um dos principais pontos de referência do Guarujá, separando as praias das Pitangueiras e da Enseada.

A maioria das pessoas associa-o ao fato de que o político Paulo Maluf seria o dono do morro, mas não o é.

Sua história aconteceu em meados da década de 30, quando o jogo era o principal atrativo da cidade. Nesta época, Edmundo Maluf, industrial em São Paulo, solteiro, que tinha casa na ladeira do morro e dava festas memoráveis que agitavam os fins de semana do Guarujá.

Maluf sempre que estava em Guarujá, armava uma tenda árabe no pico do morro. Todos pensavam que ele fosse milionário, pois suas festas eram realmente de grande destaque. Todavia, perdeu uma grande quantia de dinheiro no cassino do Grande Hotel, deixando de frequentar assiduamente o Guarujá.

Leiam a carta que uma sobrinha de Edmundo Maluf ( May Zarif), enviou ao amigo Geraldo Anhaia Mello.

Fiquei pensando no que eu poderia te contar sobre meu tio Edmond mas acho que só conheço a história de ouvir contar. Ele dava festas em sua propriedade no morro da Campina e cada mulher recebia uma orquídea sobre o prato. Algumas poucas recebiam uma joia debaixo da orquídea. Depois do jantar ouvi dizer que eles bebiam e jogavam as taças de Baccarat na lareira. Um dia, muito tempo depois , perguntei a ele: “Tio, é verdade que vocês quebravam as taças de Baccarat nas suas festas?” E ele me respondeu: “Não querida. Era só cristal da Boêmia…” falou isso na maior naturalidade, parecia que falava de vidros…)
Não tenho fotos dele no morro, pois meus pais e tios não eram convidados para as festas. Ele era solteiro e adoravelmente devasso.
Ele jamais chegava em casa sem um presente para mim. Coisas simples, mas que guardo até hoje.
Quando li sua revista, vi que disseram que ele fugiu do Guarujá deixando grandes dívidas. Não foi bem assim. Quando decretaram sua falência, em 1947, lembro de minha mãe chorando, dizendo que ele havia fugido para Paris. Eu havia visto a maquete do que ele pretendia fazer com o Morro do Maluf. Era uma maquete maravilhosa, com colares contornando o morro, nada de prédios altos, como esses que tiraram toda a vista da praia, mas ele não teve tempo ou dinheiro para realizar seu sonho. Um dos credores ficou com o morro, o Ortiz, se não me engano. Ele deve ter deixado muitos inimigos, pois quando voltou ao Brasil, em 1957, após dez anos de exílio, tão logo se soube de sua chegada, saiu um artigo no Estadão ( agosto de 57, quem sabe você encontra?) dizendo que o Príncipe das Arábias tinha voltado e contando um pouco das festas faraônicas dele, mas isso reacendeu alguns ânimos e, algum tempo depois, quando ele andava pela Bela Vista foi empurrado violentamente por alguém, sendo atropelado por um carro. Não perdeu a vida mas perdeu uma perna e teve que vender as 28 fábricas que havia montado EM UM ANO! Depois ele foi para Analândia, levando sua nova mulher. A primeira mulher dele, Eugênia, acompanhou-o ao exílio em Paris e foi uma mulher maravilhosa. ( se você conseguir falar com a Dana Mendonça vai saber histórias sobre os dois ) Anos mais tarde disseram que ele se matou com um tiro. Corri para Analândia, vi o sangue no chão do banheiro e notei que uma das portas dava para rua. Não seria impossível alguém entrar e forjar o suicídio. Para a polícia foi suicídio, mas para mim ficou um ponto de interrogação. Naquela época ele não havia feito dívidas, estava mais sossegado, vendendo madeira das fazendas, usando um carro especial que eu dei a ele. Ele me entregou um papel assinado dizendo que me pagaria em um ano o empréstimo para comprar o carro. Eu achei graça e fingi que acreditei. Após alguns meses ele apareceu na minha casa apoiado nas muletas e equilibrando uma caixa com uma orquídea. “Toma, é para você, minha fada” Eu abri a caixa, levantei a orquídea para sentir o perfume e…vi debaixo dela todo o dinheiro que eu havia lhe emprestado para comprar o carro. Essa dívida ele pagou.
Desculpe, Geraldo, falei demais. Pode usar as informações que quiser

May

Veja fotos nos dias de hoje.

You may also like...

Leave a Reply

Você não pode copiar o conteúdo desta página

error: O conteúdo está protegido!