Prefeito de Guarujá decreta situação de emergência

Medida, segundo Administração, garante que serviços municipais não fiquem desabastecidos.

Prefeito de Guarujá, Válter Suman, preside Comitê de Gestão de Crise (Foto: Helder Lima / Divulgação)

O prefeito de Guarujá, Válter Suman, decreta neste sábado (26) “situação excepcional de emergência”. De acordo com a Administração, tal medida serve para garantir que os serviços municipais não fiquem desabastecidos devido à greve dos caminhoneiros, que entra em seu sexto dia.

Na noite desta sexta-feira (25), o chefe do Executivo presidiu um Comitê de Gestão de Crise, também formalizado pelo decreto, para discutir a situação. O comitê é composto por membros das principais secretarias envolvidas.

 O decreto 12.685 viabiliza o abastecimento dos principais serviços, garantindo a escolta de caminhões de combustível aos postos e permitindo a utilização de recursos para aquisição de bens de maneira emergencial.

“Embora os serviços ainda estejam sendo mantidos, o decreto é necessário tendo em vista que, caso perdure a greve, pode haver risco de desabastecimento. As escolas municipais estão com aulas garantidas, mas na próxima semana será analisada a possibilidade de suspensão das atividades caso o problema se agrave. O mesmo ocorre com serviços urbanos como a coleta de lixo e o serviço funerário”, informa a nota enviada pela Prefeitura.

Vans escolares durante manifestação em Guarujá na última sexta-feira (Foto: Carlos Nogueira/AT)

 A Administração comunica, ainda, que está monitorando também a situação do transporte municipal, que desde quinta-feira está operando com 60% de sua capacidade. Segundo a concessionária do serviço, Translitoral, haverá ainda menos ônibus circulando de sábado a segunda-feira, com 30 veículos nas ruas das 6 às 20 horas (sábado e segunda) e até 18 horas (no domingo). Nos demais horários, apenas quatro linhas circularão na Cidade. Ao todo, a concessionária possui 142 veículos em sua frota.

Na saúde, segundo a Prefeitura, o decreto visa garantir que o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) não sofra nenhum prejuízo, assim como o abastecimento de itens essenciais como gases medicinais; vacinas; medicamentos, insumos e materiais médicos; alimentação de pacientes; exames que demandem transporte e/ou processamento fora do domicílio.

 Já na segurança, a Administração comenta que serviços da Guarda Civil Municipal (GCM), Força-Tarefa, Defesa Civil e trânsito também poderiam ficar comprometidos. Entretanto, na própria sexta-feira (25) viaturas de serviços emergenciais do Município puderam ser abastecidas graças ao apoio da Polícia Militar.

“Com essa medida e o decreto, os serviços serão mantidos na integralidade enquanto perdurar a greve, inclusive com abastecimento de ambulâncias do Hospital Santo Amaro (HSA) e apoio às demais concessionárias”, informa a nota.

 “Se necessário, utilizaremos nossas viaturas para ajudar a abastecer o transporte de gêneros alimentícios e insumos médicos das unidades”, afirma o prefeito Válter Suman.

Fonte: Jornal A Tribuna

You may also like...

Você não pode copiar o conteúdo desta página

error: O conteúdo está protegido!