Ruínas da Ermida de Santo Antônio do Guaibê

Ruínas da Ermida de Santo Antônio do Guaibê recebem nova ação de zeladoria.

O local faz parte da história do Brasil e será resgatado para visitação.

Resgatando a história de Guarujá, na segunda (24) e terça-feira (25), a Secretaria Municipal de Cultura (Secult), por meio da Diretoria de Patrimônio Histórico – com apoio das Secretarias de Turismo, Meio Ambiente e Operações Urbanas – irá realizar uma nova ação de zeladoria na Ermida de Santo Antônio do Guaibê, patrimônio histórico da Cidade. A manutenção vendo sendo feita desde o ano passado, com a atual gestão, e tem o objetivo de resgatar o local para visitas.

A Ermida do Guaibê é uma capela construída no século XVI no extremo norte de Guarujá, junto ao canal de Bertioga, e foi uma das primeiras igrejas do Brasil. O local era frequentado pelo Padre Anchieta, onde rezava missas e catequizava índios. Foi construída por José Adorno e é feita de pedras com sambaquis e óleo de baleia com conchas. Atualmente restam as ruínas que ainda dão a dimensão da antiga estrutura desta construção histórica.

“A Ermida faz parte da história não só do Guarujá, mas do Brasil. Queremos resgatar este local para que seja usado e conhecido, tanto pelos turistas que nos visitam, quanto para os próprios moradores da Cidade”, explica a diretora de patrimônio cultural, Mônica Daige.

O acesso a Ermida é feito pela Trilha das Ruínas, que tem início na Rodovia Ariovaldo de Almeida Viana, a estrada Guarujá-Bertioga. O caminho é feito por uma área preservada da Mata Atlântica. A Prefeitura de Guarujá e de Bertioga firmaram parceria em agosto de 2017 para que sejam feitas as manutenções no local.

You may also like...

Você não pode copiar o conteúdo desta página

error: O conteúdo está protegido!