126 ANOS DE HISTÓRIA

Antes da chegada dos portugueses, o nome da nossa ilha era Guaibê ou Guaimbê e assim conhecida pelos índios locais e das imediações. Este nome significa “cipó de amarrar” e refere-se a um certo tipo de vegetação que aqui existia em grande quantidade.

Em 1534, o rei de Portugal, D.João III, doou a ilha a Pero Lopes de Souza, irmão de Martim Afonso de Souza. Como este nada ou pouco fez por sua capitania, durante muito tempo não houve fixação de elementos colonizadores e o povoamento foi bastante demorado.

Em 1584, foi construída a Fortaleza da Barra Grande, pelo Almirante Espanhol Diogo Flores Valdês, após a invasão da Barra pelos Galeões de Edward Fenton, legendário pirata inglês. A Fortaleza também é chamada de Santo Amaro ou São Miguel.

Ainda no século XVI, foi construída a Fortaleza de Itapema.

A história do Guarujá começa de fato em 1891, quando homens de negócio de São Paulo fundaram a Companhia Balneária Ilha de Santo Amaro, presidida pelo Dr. Elias Fausto Pacheco Jordão, e estabeleceram uma estação de banhos na praia das Pitangueiras, que, então, pertencia a uma propriedade chamada Guarujá-Guaçu.

No local ergueram o Grand Hotel La Plage, com 50 aposentos e mais 40 chalés pré-fabricados vindos dos Estados Unidos. Esta iniciativa, considerada arrojada para a época, custou dois milhões de cruzeiros velhos. A empresa também se encarregava do transporte dos passageiros, com pequenos vapores no canal e um trem na ilha.

A inauguração se deu em 1893, o Guarujá nascia para o turismo.

Após um incêndio que destruiu o hotel parcialmente, outro foi construído. Em 03 de setembro de 1898, mais modesto que o primeiro, o segundo Grand Hotel La Plage foi aberto, tinha dois pavimentos de alvenaria e contava também com 50 apartamentos, que funcionaram até 1910, quando o hotel foi demolido.

Em 1912, Percival Farquhar contratou Ramos de Azevedo para edificar o terceiro Grand Hotel, com 220 apartamentos.

Aos 15 dias de outubro de 1931, a direção do Grand Hotel La Plage, diante da taxação do jogo pelo Governo Federal e dos inúmeros prejuízos, resolve fechar o hotel, o casino e paralisar a travessia de balsas Santos-Guarujá, serviço este cujas as despesas eram pagas pelo hotel. Aos 12 dias de dezembro, deste mesmo ano, foi noticiado pela imprensa, que o hotel e o serviço de balsa estavam com seus serviços restabelecidos.

Em 1932, em um dos aposentos do Grand Hotel La Plage, suicidou-se Santos Dumont, o que trouxe grande comoção a cidade e ao mundo que admirava o ilustre aviador.

Aos 12 dias de janeiro de 1933, o proprietário do Grand Hotel La Plage e do Casino, senhor Alfredo Galian, anunciou que, dado as onerosas exigências consignadas no decreto que regularizava o jogo nas estâncias balneárias, nenhuma atitude tomaria para reabrir o Casino. Neste mesmo ano, em 11 de maio, o dirigível Graf Zeppelin sobrevoou a cidade de Santos e Guarujá, num desvio de rota, em que também passou pela capital paulista, devido ao mau tempo no Rio de Janeiro.

Em 1934, é inaugurada a Escola Estadual Vicente de Carvalho.

Em 1938, começam as obras de construção do Forte dos Andradas.

Aos 28 dias de dezembro de 1940, o Interventor Federal Adhemar de Barros, visita o Guarujá.

O Casino do Grand Hotel, sob nova direção, continuaria a atrair turistas de alto poder aquisitivo e este reinado durou até 1946, quando em 30 de abril, o presidente Eurico Gaspar Dutra decretou o fim dos casinos com a proibição dos jogos de azar no Brasil. Desde então, o Grand Hotel La Plage, tentou manter-se atraente aos turistas promovendo mesas de carteado em salas de diversões.

Em 1947, é criado o Iate Clube de Santos, inspirado a incentivar a prática da Vela.

Em 1949, mais precisamente em 1º de março, em uma festa de carnaval no Grand Hotel La Plage, os irmãos Olímpio e Eduardo Matarazzo foram vítimas de uma suposta tentativa de homicídio por parte do delegado de polícia Emílio Brito. Feridos gravemente pela arma de fogo do delegado, foram levados a Santa Casa de Misericórdia em Santos.

Depois deste acontecimento, as salas de diversões do hotel foram fechadas e começou então, o desenrolar dos fatos do maior escândalo do Estado de São Paulo, que, tomada pelas notícias dos jornais, derrubaram de vez o movimento do hotel.

No dia 25 de setembro, deste mesmo ano, surgia nas bancas, a primeira edição do jornal “A Estância de Guarujá”.

Em 1951, é fundado no Guarujá por Paulo Paiva e Waldir Gil Alvarez, o diretório do Partido Social Democrático, com o acolhimento do registro dos diretórios municipais, em todo o Estado, pelo Tribunal Regional Eleitoral.

Em 1953, a Vila Itapema passa a ser Distrito, sendo batizada de Vicente de Carvalho. Neste mesmo ano, José Florestano Felice e Odilo Checchine encomendaram a Nicolla Rollo, a escultura “Ecce Agnus Dei” (Eis o Cordeiro de Deus) para a praça em frente a Igreja Matriz.

Em 1954, chega a cidade, para assumir a paróquia, o vigário Domênico Rangoni, o Don Domênico. Neste mesmo ano, o prefeito Major João Torres Leite Soares sanciona a Lei 204, que delimita as Zonas Urbanas e Suburbanas do nosso município. É filmado no Guarujá o filme É proibido Beijar, com Tônia Carrero.

Em 1955, com a ajuda do diretório municipal do Guarujá, elege-se presidente da República Juscelino Kubitschek e o prefeito Domingos de Souza.

Aos 15 dias de janeiro de 1956, Don Domênico inaugura e consagra a Igreja Matriz.

Aos 31 dias de janeiro de 1956, é realizada a missa e posse do prefeito Domingos de Souza e da 3ª Legislatura da Câmara Municipal.

Aos 16 dias de setembro de 1957, são homenageados no Guarujá, dois aviadores mortos na Revolução Constitucionalista, sendo eles, José Ângelo Gomes Ribeiro e Mario Machado Bittencourt.

Em 1959, o Grand Hotel La Plage é demolido.

Em 1960, a Câmara Municipal aprova projeto de lei, sancionado sob o número 531/60, para construção de um prédio de 22 andares no terreno onde estava localizado o Grand Hotel La Plage. Neste ano, é fundado o Golf Clube do Guarujá e o Clube Samambaia.

Em 1962, Don Domênico inaugura o Hospital Santo Amaro, com atendimento de maternidade e pediatria com 100 leitos.

Em 1963, Domingos de Souza é eleito prefeito. Neste mesmo ano, Steffi Leonore Asch, funda o CRPI-Centro de Recuperação de Paralisia Infantil.

Em dezembro de 1964, Adelino Boralli inaugura o Tortuga Club na praia da Enseada.

Ainda em 1964, os irmãos José e Francisco Rainho inauguram o Restaurante Castelinho.

Aos 9 dias de janeiro de 1965, a Viação Guarujá, coloca em funcionamento a linha Centro-Praia das Tartarugas, com ponto final em frente ao Tortuga Club.

Em 1967, foi realizado na Praia das Pitangueiras, o 1º Campeonato de Surf Profissional do Estado de São Paulo.

Em 1969, começam as obras do Casa Grande Hotel, o primeiro hotel do Brasil aprovado pela Embratur. Neste mesmo ano, Adelino Boralli compra o Clube da Orla.

Em 12 de janeiro de 1972, o Casa Grande Hotel é inaugurado.

Em 1973, a empresa Guarujá Turismo inaugura o teleférico no Morro do Pitiú.

Aos 18 dias de novembro de 1975, nas dependências do Tortuga Club, foi realizada a abertura da VI Convenção Brasileira de Hospitais. O processo eletrônico de dados do INPS, para pagamento de contas hospitalares, foi um dos principais temas abordados. Neste mesmo ano, o vereador Walter Gonçalves defende e propõe a emancipação de Vicente de Carvalho.

Em 1976, o Restaurante Castelinho é fechado.

Em 1977, o teleférico é desativado, devido aos altos custos de manutenção e falta de interesse da Prefeitura para manter o empreendimento turístico.

Em 1980, o Diretor de Educação, João José de Oliveira Pecchiore, promoveu o concurso “Volta ao passado, com amor” e com isso obtem grande número de fotos, documentos e objetos alusivos a nossa história. Com este farto material, o diretor de Educação do Guarujá pretendia montar um museu. O local seria uma antiga sede de fazenda, na região do Perequê, próxima as marinas Badra, ao lado esquerdo da estrada Guarujá-Bertioga.

Tratava-se de um prédio construído há mais de 20 anos, daquela época, cujo estilo lembrava as antigas casas grandes de fazenda do início do Século. Apesar de ter sido desapropriado pela prefeitura não tinha tido qualquer utilidade, até aquele momento. Este projeto contava com o apoio da presidenta do Instituto Histórico Geográfico do Guarujá-Bertioga, Lúcia Falkenberg. Curiosamente, porém, a Câmara Municipal vetou o projeto.

Ainda em 1980, é realizado pela Secretaria de Estado da Cultura e pela Prefeitura da nossa cidade, o Festival de Verão, que foi inaugurado com um concerto ao ar livre, na praia das Pitangueiras, pela Orquestra Sinfônica Brasileira, sob regência do maestro Isaac Karabchevski. Neste mesmo ano, o prefeito Jaime Daige cogita fazer o primeiro Centro de Convenções do Guarujá desapropriando o Clube da Orla.

Aos 5 dias do mês de setembro, deste mesmo ano, dois containers carregados de filmes Kodak caíram do navio Maria da Penha e foram encontrados na praia do Tombo.

Em 1981, é realizado pela Secretaria de Estado da Cultura e pela Prefeitura da nossa cidade o 2º Festival de Verão, com a presença de Luiz Gonzaga, Jorge Ben Jor e outros grandes nomes da música popular brasileira.

Em 1982, através do decreto 18440 de 15 de fevereiro, o Governador Paulo Maluf oficializa o Festival de Verão do Guarujá. Neste mesmo ano, Maurici Mariano é eleito prefeito.

Em 1983, Don Domênico amplia o hospital com ajuda do Governo do Estado. No mesmo ano, a Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo decretou e seu Presidente Néfi Tales promulgou a Lei nº 3.733 de 13 de maio, alterando o nome do Festival de Verão do Guarujá, denominando-o Festival Elis Regina.

Em 1985, Guarujá sofre com a invasão de terras, na administração do prefeito Maurici Mariano.

Em 1987, o prefeito Maurici Mariano desapropria 40 mil metros quadrados no Morro da Campina, também conhecido como Morro do Maluf e cogita tornar o Clube da Orla, bem de utilidade pública. No mesmo ano, a cidade perde o seu maior benfeitor, falece Don Domênico.

Em 1988, é criado e instalado o Conselho de Segurança do Guarujá – CONSEG, por Waldir Gil Filho. No mesmo ano é sancionada a Lei que concedeu isenção no pagamento das passagens de ônibus para os idosos, de autoria do vereador Ruy Carlos Gonzalez e sancionada pelo próprio, como Presidente da Câmara. Nas eleições municipais, Waldir Aparecido Tamburus é eleito prefeito.

Em 1991, o proprietário do Clube da Orla resolve torná-lo no Shopping La Plage.

Aos 13 dias de maio de 1992, um grupo de 29 Maçons fundaram a ALMA – Associação de Amigos do Lar do Menor Assistido. Neste mesmo ano, Ruy Carlos Gonzalez é eleito prefeito e a Ford lança em todo Brasil o Escort Guarujá 4 portas.

Em 1996, Maurici Mariano é eleito prefeito.

Em 1997, o Grupo Silvio Santos compra o tradicional Hotel Jequitimar. Neste mesmo ano o atuante vereador Orlando Falcão é assassinado.

Em 1999, advogados da empresa Monte Carlo S.A e do espólio de Ortiz Monteiro entram com uma representação na Procuradoria-Geral de Justiça pedindo a responsabilização penal do prefeito Maurici Mariano pelo não pagamento de precatório no valor de R$ 43 milhões, decorrente da desapropriação que promoveu no Morro da Campina, em 1987, e por descumprimento de decisão judicial. Guarujá sofre com o pagamento de precatórios até os dias atuais.

Em 2000, Maurici Mariano é reeleito prefeito.

Em 2001, o pré-candidato a deputado estadual e atuante vereador Ernesto Pereira é assassinado.

Em 2003, paulistanos fazem protesto contra a violência no Guarujá, após a morte do empresário chileno Walter Arturo Ugaldi Erazo, de 51 anos. O movimento consegue boicotar a cidade nos dias 4 e 5 de setembro. O prefeito Maurici Mariano rebate o argumento dos organizadores, sem sucesso.

Em 2004, Farid Madi é eleito prefeito.

Em 2005, o Grupo Silvio Santos inicia as obras do novo Hotel Jequítimar.

Em 2007, falece Maurici Mariano.
Em 2008, Maria Antonieta de Brito é eleita prefeita.

Em 2010, o atuante vereador e pré-candidato a prefeito do Guarujá, vereador Luiz Carlos Romazzini é assassinado.

Neste ano, Angela Omati Aguiar Vaz lança a 2ª edição do livro “Guarujá – Três momentos de uma mesma história”.

Aos 30 dias de outubro de 2010, o Condephaat aprovou parecer do seu Conselheiro Relator, favorável ao tombamento do Edifício Sobre as Ondas e deliberou, ainda, pela abertura de processo de estudo de tombamento da Casa da Pedra. Neste mesmo ano, em 9 de novembro o Condephaat deliberou ordenando o tombamento.

Em 2012, o ex-secretário de governo Ricardo Joaquim de Oliveira é assassinado. No mesmo ano, Maria Antonieta de Brito é reeleita prefeita.

Aos 9 dias do mês de junho de 2013, é criado no Facebook o maior acervo de fotos antigas, exclusivas do Guarujá. Com aproximadamente 2600 membros, o grupo Guarujá-Vintage, torna-se referência do pleno exercício da cidadania, de amor pela cidade, pela cultura e sua história.

Em 1º de julho, as escolas da rede municipal de ensino, com o objetivo de incentivar alunos do ensino fundamental I e II na pesquisa histórica e cultural do Município, comemoraram os 79 anos de emancipação político-administrativa, celebrando com o projeto “Guarujá: Histórias a contar, maneiras de expressar”.

Aos 17 dias de julho, a imprensa oficial do Estado de São Paulo, publicou a Resolução Sc 44, de 05 de julho de 2013, que dispõe sobre o tombamento do Edifício Sobre as Ondas e da Casa da Pedra.

Aos 23 dias do mês de setembro, quatro médicos estrangeiros chegam ao Guarujá, através do Programa Mais Médicos, do Governo Federal.

Aos 16 dias do mês de outubro, foi criado o Conselho Municipal de Políticas Culturais do Guarujá.

Aos 24 dias deste mesmo mês, falece Ruy Carlos Gonzalez, ex-prefeito do Guarujá.


Nossa história segue…

Fonte: Marcelo Gil

 

Você não pode copiar o conteúdo desta página

error: O conteúdo está protegido!